quarta-feira, fevereiro 17, 2010

Ato contra a criminalização dos movimentos sociais!


No início de 2009, a prefeitura junto a URBS e empresários do transporte,
em mais uma ação autoritária, covarde e excludente, aumentaram a tarifa de
R$ 1,90 para R$ 2,20. Em momento algum a população foi consultada, visto
que a maioria dos trabalhadores não teve um reajuste de 17% em seus
salários, sendo assim não podendo arcar com esse custo altíssimo.

Motivados por essa medida arbitrária - prefeitura em conluio com
empresários - militantes do MPL, estudantes secundaristas e
universitários, trabalhadores e várias organizações populares construiram
a "Jornada de Lutas por um Transporte verdadeiramente Público".
O objetivo era o congelamento da tarifa em R$ 1,90 e a reivindicação do
direito de ir e vir de todo cidadão implementando a municipalização do
transporte e Tarifa Zero.

No dia 13 de Fevereiro de 2009, em frente ao Colégio Estadual do Paraná
(CEP), onde a terceira manifestação da Jornada acontecia, fomos
brutalmente agredidos pela ação da PM. Essa atitude extremada teve como
resultado dispersão de todos ali. O que era pra ser uma manifestação
pacífica transformou-se em perseguição policial e pancadaria oficializada.
Nos quase 20 minutos de tumulto manifestantes tiveram lesões graves,
braços quebrados e ainda prisões injustificaveis.

O MPL e as demais organizações presentes na Jornada foram em busca de
defesa juridica - Ouvidoria da PM, Inquérito Policial na Polícia Civil,
GAECO (Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado), etc.
Tendo em vista um ano de silêncio das autoridades competentes sentimos a
necessidade de voltarmos as ruas para relembrar não apenas o fracasso do
congelamento da tarifa em R$ 1,90 e gratuidade do transporte coletivo, mas
também a criminalização dos movimentos sociais, abuso de autoridade da
Guarda Municipal e PM, a não abertura dos arquivos da ditadura militar no
Brasil e a favor do pedido de asilo político a Cesare Batisti.

Convidamos toda a sociedade civil organzada bem como movimentos sociais e
organizações populares para construir esse dia de luta pelos nossos
direitos.

--------

CRONOGRAMA MANIFESTAÇÃO DIA 26 DE FEVEREIRO 2010

.Concentração: 10hs em frente ao CEP (Colégio Estadual do Paraná);
.Início do ato: 11:30
.Atividades propostas:

- Exposição de fotos sobre a luta pelo Passe Livre, manifestações,
repressão policial, etc;

- Vídeo com filmes revolta da catraca, ocupação da URBS...;

- Microfone aberto para intervenções;

- Panfletagem informativa aos transeuntes.

15 comentários:

Anônimo disse...

I really like when people are expressing their opinion and thought. So I like the way you are writing

André Caon Lima disse...

É importante salientar que apesar das violentas repressões físicas e morais o movimento continua trabalhando em prol da mobilidade urbana sustentável. O exemplo é a participação no grupo de ONG´s e Ativistas que pedem a impugnação do edital de licitação dos ônibus em Curitiba, no próximo dia 25.

Becker disse...

Eu faço ciências sociais na UFPR e apoio o movimento, acho ótimo lutarem pelo passe livre, o que fode tudo é misturar luta política nisso! Quando a maioria das pessoas chega na parte do panfleto falando sobre abertura dos arquivos da ditadura, asilo politico ao cesare battisti o pensamento que vem à cabeça é " mais uma passeata desse povo de esquerda.."
E as autoridades vão continuar agindo do mesmo jeito de sempre, pois eles não vêm a manifestação como algo do povo, mas sim de militantes e partidos políticos!Entendam isso!!

Vocês tem que se tocar que a maioria das pessoas considera o Battisti um terrorista, o MST um bando de criminosos etc e por isso não apoiam o movimento, porque não querem ser associadas a esse tipo de coisa!

Isso enfraquece o objetivo do MPL!
Passe livre e redução da tarifa é um interesse de todos, mas as outras coisas que vocês reinvidicam não são!

Não misturem as coisas! Sem militância politica de esquerda no MPL!!

Becker disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Becker disse...

E as autoridades vão continuar agindo do mesmo jeito de sempre, pois eles não vêm a manifestação como algo do povo, mas sim de militantes e partidos políticos!Entendam isso!!

Anônimo disse...

Becker, a questão pelo passe livre é mais uma luta que se enquadra nas lutas historicas do povo.

Essa reivindicação pelo passe livre é na verdade uma parcela (e claramente enxergamos mais uma vez a lei do mais forte aqui) de um grande ról de direitos os quais a maioria da população é privada.

É claro, por buscarmos nosso direito de ir e vir garantido constitucionalmente pelo Estado, fere o lucro da minoria abastada e essa minoria retentora de poderes pressiona politicamente nossos "representantes" que por sua vez usa o aparato militar do Estado para nos calar (vide repressão brutal dia 13 de fevereiro 2009).

Entendemos que da mesma maneira ocorre com aqueles companheiros que lutam, com pautas diferentes, pelos seus direitos.
Sejam eles MST, Batisti, sequestrados pela Ditadura militar de 64, indigenistas ou qualquer qe seja.
Somos irredutivelmente solidários a tod@s aquel@s que lutam pelos seus direitos em contrapartida à exploração capitalista, como são esses casos os quais vc se referiu.

Não enxergamos níveis aí.
É a mesma luta anticapitalista.

Abs.

Becker disse...

Sim, mas que muita gente deixa de apoiar por causa disso é fato.

André Caon Lima disse...

Minha percepção é a seguinte: a sociedade que se organiza de forma espontânea, através dos movimentos sociais, não está imune as influências políticas de esquerda ou direita. Por outro lado, os movimentos sociais são muito heterogêneos e, para haver união e resultados, é preciso buscar os pontos em comum, o que nem sempre significa abrir mão do foco ou de seus princípios.
O fato principal é que a mobilização conseguida até o momento é fraca. É necessária a busca de parcerias e espaços para a exposição mais clara da proposta, que até o momento não foi perfeitamente compreendida pela sociedade.

André Caon Lima disse...

Continuando...
É nesse ponto que talvez sejam válidas as parcerias do MPL neste ato, visto que o ponto em comum identificado é a criminalização dos movimentos sociais.
Por outro lado, o contato com outros movimentos ajuda na disseminação da proposta foco do MPL, qual seja a mobilidade urbana como direito de ir e vir.

André Caon Lima disse...

Mas enfim...
Todo cuidado é pouco para não serem cooptados ou manipulados, de forma que o alerta do Becker pode ser consistente.

André Caon Lima disse...

ATENÇÃO!!! AMANHÃ -10.02-14H -SEDE DA URBS- ABRE-SE O ENVELOPE 2 DA LICITAÇÃO DOS ÔNIBUS DE CURITIBA (SÃO 3 ENVELOPES, O N1 JÁ FOI ABERTO)

Becker disse...

Oq são exatamente esses envelopes?

gfomus@gmail.com disse...

Envelope 1 - habilitação
Envelope 2 - proposta técnica
Envelope 3 - proposta de preço
tipo da licitação: técnica e preço ou seja, o vencedor que pontuar mais ganha (peso prop. tec. 40%; peso prop. preço 60%)

André Caon Lima disse...

FESTANÇA NA LICITAÇÃO DOS ÔNIBUS DE CURITIBA!!!!!!!!!!!!!!!!!
QUEM PARTICIPOU, JÁ GANHOU POIS NÃO TEM CONCORRENTES!!!!!!!!
MINISTÉRIO PÚBLICO SE PRONUNCIA NA SEXTA FEIRA - SERÁ MAIS UMA INSTITUIÇÃO A CAIR???

Anônimo disse...

HOJE (25/03) REUNIÃO ÀS 14H NO CASARÃO DA UPE, ESTAMOS ESPERANDO O MPL E DEMAIS MOVIMENTOS SOCIAIS PARA CONSTRUÇÃO DA FRENTE DE CAÇA AOS FANTASMAS DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA.