segunda-feira, maio 29, 2006

NOTA DE ESCLARECIMENTO


O MPL Curitba vem por meio desta nota refutar as alegações incorretas feita pelo vereador Pastor Gilso, onde consta num nota de sua assessoria, a afirmação de que o MPL invadiu o seu gabinete no dia 15/05/2006, segunda-feira.

Vendo os fatos ocorridos neste dia, que por sinal foram registrados por uma filmadora, várias câmeras fotográficas e mais importante ainda, pelo testemunho dos estudantes presentes, estamos esclarecendo que:

- O MPL foi ao Gabinete do referido parlamentar municipal seguindo o que fora combinado consensualmente por ele junto aos estudantes, ao vereador Pastor Valdemir e ao vereador Mário Celso;

- O MPL agendou pessoalmente no gabinete uma data para a conversa vendo a disponibilidade do vereador, porém o mesmo desmarcou unilateralmente o encontro que propôs sem avisar o movimento e na segunda-feira, mesmo estando em seu gabinete, não nos recebeu e ainda por cima chamou a segurança da Câmara de Vereadores;

- O vereador esquece que seu projeto já foi discutido na Comissão de Legislação e Justiça e, numa audiência pública;

- Também se esquece que seu projeto foi arquivado pela referida comissão e se o vereador não esteve nesse debate, foi porque não quis, pois o projeto de lei é de sua autoria;

- O vereador se diz arrependido por ter adiada a votação do projeto, mas irá com certeza se arrepender quando o projeto for barrado;

- Também irá se arrepender pelo seu posicionamento reacionário, tendo que arcar com todo o custo político de sua atitude, por patrocinar uma lei ridícula e inconstitucional.


Movimento Passe Livre



Nota da assessoria do Gabinete do Pastor Gilso:

Vereador fica indignado com invasão de estudantes

Na tribuna da Câmara de Curitiba nesta terça-feira (16), o vereador Pastor Gilso de Freitas (PL) comentou sua indignação à respeito da manifestação de estudantes, que no dia anterior (segunda-feira,15) estiveram no plenário da Casa, para acompanhar a votação do passe livre.

Para evitar maiores confusões durante a sessão, o vereador retirou por 10 sessões, a pedido do líder do prefeito e de alguns vereadores, o projeto de lei que discute o passe livre aos estudantes. Revoltados eles gritaram durante a retirada. Em seguida, contou Gilso de Freitas, os estudantes invadiram o gabinete parlamentar com filmadoras, exigindo marcar horário para conversar com o vereador.

“Não fui procurado pelos estudantes anteriormente para discutir o projeto.
Eles simplesmente fizeram manifestações no plenário, no momento da votação. Achei falta de respeito e estou arrependido de não ter votado o projeto”, disse o vereador, afirmando que vai marcar horário para conversar com os estudantes, mas irá determinar quando, onde e quantos irão participar da reunião.

http://www.pastorgilso.com.br/noticias/maio/ver%20indignado.htm

Um comentário:

janaína disse...

Provavelmente este professor não conhece o vereador Pastor Gilso de Freitas, e por isso escreve tal artigo o criticando, peso apenas que este professor de Direito e todos que leram este artigo que entrem também no site da câmara municipal de curitiba ou então no site do próprio Pastor www.pastorgilso.com.br e vejam os projetos que este vereador, que esta trabalhando a favor do povo curitibano sim, esta fazendo por Curitiba.

Grata,
Janaína Correia