segunda-feira, novembro 06, 2006

MANIFESTO de apoio:
dia 20/11 a partir da 12h na praça RuiBarbosa(ocorre simultaneamente em várias cidades do Mundo).
Construiemos um mosáico coletivo, haverá um Varal de fotos de OAXACA e da manifestações de apoio q já aconteceram pelo mundo e o Grupo Viento Sur estará presente)

PARA SERMOS OAXACA, PARA SERMOS LIVRES


“Mas somos muitos milhões de homens
comuns
e podemos formar uma muralha
com nossos corpos de sonho e margaridas”, Ferreira
Gullar

Os professores, os indígenas, os camponeses, os estudantes e todo o povo do estado de OAXACA, no México, estão vivendo uma experiência única de organização popular, chamada a ‘COMUNA de OAXACA’. Todos nós que queremos melhorar nossas vidas temos muito a aprender com esta luta.

A palavra-chave para o que está acontecendo em OAXACA é: autonomia dos povos. O que tem a mesma semente das associações de bairro, das assembléias populares, da autogestão de cooperativas, das padarias comunitárias, dos movimentos sociais. Ou seja: aquilo que cria poder popular.

Tudo começou em maio, numa greve de professores que exigiam aumentos salariais. Daí, ao invés de escutá-los, o governador Ulises Ruiz reprimiu os professores, deixando o povo de Oaxaca indignado. Camponeses e indígenas se uniram aos protestos, expulsaram a polícia do centro da cidade e formaram a Assembléia Popular dos Povos de Oaxaca - APPO -, exigindo a retirada de Ulises.

O povo assumiu o controle de OAXACA e começou a formar barricadas. Neste momento, o povo ocupou prédios públicos, tomou conta de rádios para contar a história que os jornais e tvs não nos contam.

A APPO é formada por milhares de pessoas, mas as decisões são coletivas, por consenso. Não há políticos para representá-los. As assembléias são herdadas da tradição das comunidades indígenas. É assim que o povo de OAXACA quer seu estado. “Não que venha alguém de fora governar, mas que o povo decida quem e como governa. E, se não obedece, o mesmo povo tem o poder de retirá-lo”, é o que os zapatistas chamam de “mandar obedecendo”.

Como eles mesmos dizem, “nada é fácil”, e desde então têm resistido à repressão da polícia federal e dos grupos paramilitares ligados ao governo. Desde maio cerca de 17 pessoas foram assassinadas, outras tantas presas e desaparecidas. Mesmo assim, a APPO não recuou .

Porém, a pedra jogada no lago espalha suas ondas. Outros estados mexicanos criaram suas assembléias populares. Em várias cidades do mundo pessoas manifestam sua solidariedade, porque agora, como dizem, todos somos Oaxaca.

A história da APPO nos deixa várias perguntas, algumas delas dolorosas, mas que temos de reconhecer:

Você tem poder de decidir o que se decide na sua cidade?
Você tem poder sobre os meios de comunicação?
Os professores têm poder sobre o valor do seu próprio salário?
A política tradicional alguma vez correspondeu às suas expectativas?
Não está na hora de tomar as rédeas da nossa vida?


Sobre Oaxaca

• É o quinto maior estado do México

• Com uma população de mais de 3.500.000 habitantes
(3,5% do total do país)

• É um dos estados com maior população indígena (32%
do estado)

• 47,6% da população empregada têm renda inferior ao
salário mínimo e 20,8% iguala

• Contribui com 1,6% do Produto Bruto Interno mexicano

Um comentário:

catatau disse...

ótimo post! estava ouvindo e lendo a respeito de Oaxaca, mas não tive ainda acesso a informações preliminares... e o post de vocês deixou bem claro o que eu queria saber.