quarta-feira, abril 16, 2008

Manifestação dia 25/04!

http://www.fotolog.com/mplcuritiba

5 comentários:

Anônimo disse...

Vão trabalhar!! Se vocês ganharem esse passe livre o restante da população terá que pagar R$3,70 de passagem. Ou seja, nós pagaremos para os "estudantes" passear de graça pela cidade!!! Ora, bando de vagabundo!!!

Cris disse...

Sou totalmente a favor da liberdade e direitos civis. Concordo com a causa em pró dos estudantes, até porque ja fui um, e hoje estou no outro lado, atuando como professor da rede pública de ensino. O passe livre é uma reinvindicação antiga, provavelmente quando a maioria destes jovens que atualmente lutam, nem sequer estavam nos projetos de muitos pais. Porém, como a tecnologia está cada vez mais, ligando as comunidades, as empresas e orgãos públicos, sugiro o seguinte:
1) Terá direito ao passe livre, os alunos que obtiverem em cada bimestre, frequência igual ou superior a 95% das aulas dadas;
2) Terá direito ao passe livre os alunos que obtiverem media bimestral igual ou superior a 70 em todas as matérias;
3) Terá direito ao passe livre o aluno que durante o bimestre não causar danos ao material da escola ou for apanhado em atos de destruição ou vandalismo na escola, nos ônibus ou terminais.
Os passes escolares teriam validade bimestral, e seriam utilizados apenas nos horários que antecedem o início das aulas ou no final de cada período. Não sendo possível utilizar o passe escolar em horários de aula bem como nos fins de semana que não tem aulas nas escolas. Tudo interligado via sistema de informação, e a cada recarga, a URBS teria a responsabilidade de fornecer o passe aos alunos que estivessem em dia com suas obrigações.
Simples e com critérios, com certeza a maioria dos estudantes poderiam utilizar seus passes escolares.
Muito obrigado.
Professor Cristiano

Camarada disse...

Puxa vida, que bando de comentários estranhos...
Se o transporte é público, deveria ser gratuito por definição, em todos os horários.
Tão bem arranjado aí em Curitiba, hein?

Gunnar disse...

Errado, camarada. Os bens públicos seguem algumas premissas, e uma delas é a eqüidade horizontal, de acordo com a qual o cidadão deve pagar de acordo com o o benefício que obtém. Para bens excludentes, como transporte ou museus, esse princípio pode (e deve) ser facilmente aplicado. Well, isso é economia básica. Quanto ao passe livre... desculpem, mas estudante não é pobre. Sou contra furar o tubo, contra vandalismo e contra a hipocrisia. Quem tem que pague. Claro que devem existir possibilidades para os miseráveis (que, diga-se, são minoria) que não podem pagar nem R$ 1,90, mas definitivamente não são só estudantes que se encaixam nessa categoria.

Douglas disse...

Nunca ouvi um comentário decente explicando PORQUE deve haver o passe livre.

Por que ter tudo de graça? Pra poder botar filho no mundo à vontade sem se preocupar em sustentá-lo?

Controle de natalidade JÁ!