sábado, fevereiro 14, 2009

Nota do MPL sobre a manifestação do dia 13




A truculência policial abateu-se sobre o Movimento Passe Livre Curitiba (MPL). O movimento estava em manifestação no dia 13 de fevereiro, seguindo uma jornada de luta de vários atos e panfletagens anteriores, reivindicando a redução da tarifa de ônibus para o patamar anterior (de R$2,20 para R$1,90), pela abertura da "caixa preta" da URBS e pelo passe livre, fundado na ampliação do direito de ir e vir. Mas como esperado, a polícia militar chegou ao local agindo já com violência ao empurrar e agredir manifestantes para que saíssem da avenida – onde realizavam uma marcha e entregavam panfletos aos estudantes ali presentes, muitos dos quais integraram a manifestação. Cerca de 400 estudantes ocupavam as ruas.


A agressividade da polícia, sem espaço nenhum para o diálogo e totalmente despreparada para lidar com movimentos sociais, ultrapassou a agressão física no momento em que os policiais começaram a decretar voz de prisão para diversos manifestantes pacíficos. Em solidariedade aos manifestantes que estavam sendo detidos os estudantes gritavam palavras de ordem pela soltura dos manifestantes e ainda eram agredidos por porretes quando foram solidários tentando se aproximar para libertar os detidos.


Eis que o reforço da polícia militar chegou e distribuiu violência gratuita aos manifestantes, agredindo-os sem poupar esforços com chutes, socos e porretes. O número de feridos foi superior a 20 pessoas, detendo 7 manifestantes de forma truculenta. No saldo um estudante teve o braço quebrado, vários outros tiveram a mão e os dedos trincados ou quebrados e uma estudante fora atingida na nuca e sangrava. Além disso, a polícia apreendeu e destruiu várias câmeras e celulares que filmavam a truculência da repressão. O tumulto quase configurou-se como uma revolta popular, muito embora a força policial eficazmente tenha defendido os empresários do transporte coletivo.


Esse não é, de modo nenhum, um caso isolado. Em 2 de abril de 2008 um estudante foi encaminhado ao Hospital Evangélico após ser espancado pela Guarda Municipal em uma manifestação pelo Passe Livre. Em 15 de setembro um militante do MPL declarou ao Jornal *Comunicação* da UFPR quanto à possibilidade de aprovação do Passe Livre: "Recebemos argumentos que sempre negam o passe livre, dizendo que existem impedimentos orçamentários ou técnicos para a efetivação do passe. Isso quando não recebemos somente a polícia". Mais uma vez, o MPL e o conjunto da população de Curitiba receberam a polícia.


Após 11 dias da posse de Beto Richa o prefeito aumentou a tarifa em 30 centavos. Logo, há uma dupla política da prefeitura: 1) uma política que serve aos empresários, contra a maioria da população trabalhadora, aumentando a tarifa e 2) reprime a população que manifesta-se contrária e criminaliza os movimentos sociais. Esse é quadro atual da política em Curitiba.


O MPL vem a público declarar que a prefeitura de Curitiba, serviçal dos empresários de transporte, é incapaz de conviver com a diferença, com a democracia que permite um ato de contrariedade a sua política. Além disso, o MPL continua disposto a lutar contra esse aumento de tarifa, pela abertura da "caixa preta" da URBS e pelo Passe Livre. As forças policiais não serão capazes de anular um movimento justo, popular e legítimo.


Amanhã vai ser maior!

23 comentários:

Anônimo disse...

Interessante que em nenhum momento aqueles que estaram realizando a dita "manifestação" se preocuparam com pessoas a quem estavam parando e fazendo o "pedágio ideológico"(Gazeta do Povo). Pessoas estas que estavam saindo de seus trabalhos, indo almoçar e tendo horário para retornar ao serviço. Este movimento também, em nenhum momento se manifestou quanto as pessoas, em sua maioria pais, que estavam enfrentando horas nas filas da URBS para dar entrada no benefício do Passe Livre, que em tese, benenificia os estudantes de famílias de menor renda.
Este fato, somado a aparente intenção deste movimento de "furar os tubos" (vide nome do site), mostra tão somente que a sua real intenção é promover a desordem, instigar o vandalismo e sua consequente marginalidade, e provavelmente criar críticas a um segmento político certamente movido por interesse de outro segmento. A este dito "movimento democrático" sugiro realizar reais manifestações, renegando quaisquer atos de vandalismo e bandidagem, renegando qualquer ligação a grupos políticos e visando unicamente os interesses e direitos de sua parcela da comunidade, direitos estes, se julgados procedentes pela comunidade deverão ser aceitos.

Rafael disse...

Interessante que em nenhum momento aqueles que estavam saindo de seus trabalhos, indo almoçar, tendo horário para retornar ao serviço, se preocuparam com a manifestação dos nossos estudantes, uma manifestação legítima, cuja intenção não é "promover a desordem, instigar o vandalismo"; pelo contrário, a intenção é promover a ordem através da promoção da educação e da justiça social (todo mundo sabe que ônibus em Curitiba, como em qualquer lugar do Brasil, é coisa pra pobre, que burguês nenhum tem coragem de largar o carro pra fazer uso do nosso "meio de transporte público modelo"). O que os estudantes querem é discutir política, enquanto a burguesia ordeira e cínica se esconde nos condomínios fechados e finge que não é com ela, manifestando-se somente quando a violência bate à porta. Desordem e vandalismo, pra mim, é policial roubando câmera e descendo o cacete em adolescente. Os estudantes terão que levar essa luta adiante sozinhos, enquanto esses covardes ficam babando democracia.

Anônimo disse...

Estudantes? Aonde? Estava passando na rua naquele momento e só vi marginais enfrentando a polícia na alcunha de "estudantes". Vcs querem passe livre para quê? Para fazer mais baderna dentro do ônibus? Para pixar os bancos e os vidros do ônibus? Ocupar os bancos destinados aos idosos e portadores de necessidades especiais e ainda "pagar um sapo" com estes? Na realidade, se os pais de vcs não dão o "corretivo" que vcs merecem em casa, a Polícia tem que meter o cassete em vcs mesmo? Estudante estuda. Se vcs estavam na rua fazendo baderna (como de costume) tem mais que tomar borracha da polícia mesmo. Além do mais, vcs não tem mais o que fazer não, como por exemplo, estudar e se preocupar com suas notas? E a quem interessa todo esse "auê". A apenas os organizadores desta bagunça que futuramente vão se aproveitar para se elegerem como políticos demagogos que são já de cedo. O que indigna é q tem uns idiotas que vão na onda desses 3 ou 4 vagabundos.

Anônimo disse...

E esse idiota do Rafael ainda fala em burguesia e outros "ias" de Marx e Chê's da vida. SE ATUALIZA! A URSS já não existe mais e vc, com certeza, sequer tá preocupado com a coletividade e sim, com vc mesmo e seu futuro como político. E com certeza tem alguém te colocando essas histórias na cabeça e te manipulando pq um cara como vc não tem nada na cabeça ainda. Deixa de ser hipócrita cara. Quero ver o dia que tua mãe estiver dentro desses coletivos e um bando de "estudantes" com o uniforme do estadual começar a ofender, agredir e tirar o maior sarro da "velhota". Onde está a democracia que vc tanto prega neste caso? E nessa manifestação se alguém tentasse "furar" o bloqueio vcs iam deixar? Cadê o direito de ir e vir que vcs tanto pregam e que me foi tirado ontem por pessoas manipuladas travestidos de "estudantes"? Estudantes sim eram aqueles que davam a cara pra bater na época da ditadura militar e não um bando de rebeldes sem causa tentando se achar numa sociedade em que cada vez menos, o jovem pensa (se é que pensa).

Anônimo disse...

Idiotas...

Rafael disse...

E eu tenho que argumentar com um idiota como esse? "A Polícia tem que meter o cassete em vcs mesmo." Que "cassete"? Fita cassete? Fita cassete de quem, cara pálida? O termo burguesia não tem nada que ver com Marx, meu pequeno padawan. Não sei se você sabe, mas vivemos na era burguesa, que se iniciou numa revolução acontecida em 1789 num remoto país chamado França. Não sou "de esquerda", não sou marxista, só sou um cara que conhece um pouco de história e sabe do que tá falando - ao contrário de uns boçais como você, que se valem de um discurso mais antiquado e retrógrado que o próprio comunismo soviético. Você certamente está nervoso assim porque foi enrabado pelo seu chefe ao atrasar alguns minutos por causa da manifestação. A propósito: enfia a fita cassete no seu cu!

Luiz disse...

Anônimo (a propósito, qual o seu motivo pra não mostrar o nome?), se você não concorda com a luta para baixar o preço absurdo da tarifa e prefere viver no comodismo tipicamente brasileiro (só porque tem carro), o problema é seu, mas dizer que o grupo "merecia tomar borracha" é ridiculo e infantil.
Fato é que o propósito da manifestação não é criar baderna, mas sim fazer valer todos os impostos que pagamos na forma de (no mínimo) uma tarifa não-tão-extorsiva. E se você soubesse tanto quanto acha que sabe sobre o grupo saberia que o vandalismo e a destruição da propriedade pública não são de forma alguma parte de seus ideais.

Anônimo disse...

Desordem e vandalismo para mim é, entre outras coisas, entrar em ônibus sem pagar, depredar bens públicos e privados.
Concordo que, infelizmente, a sociedade (independente de rica ou pobre, burguesa ou proletária) tem que se esconder em seus condomínios e casas, atrás de muros e grades. E tocando neste assunto, você por acaso mora em algum destes lugares? Ou vive na rua, inerte a violência e/ou solidário aos nossos infortunados viventes sem lar? É muito animador ver os jovens querendo se manifestar com a política. Mas por que será que somente os vemos nestas situações, em o que está em jogo são seus próprios interesses? Se temos que valorizar os impostos que pagamos, porque a concessão do passe livre dever ser única e tão somente dado aos estudantes e não aos demais pagadores, mesmo que menores, como por exemplo os pertencentes da "classe proletária"? Sou um dito proletário também, todos os meus estudos (incluso a faculdade) foram viabilizados com o uso do transporte coletivo. Por sinal, ainda uso este transporte, sobretudo depois de vender meu carro para comprar um apartamento e assim poder vir me "esconder atrás das grades dos condomínios burgueses". Em nenhum momento podemos ser coniventes com a violência, principalmente com a de caráter policial. Todos os excessos devem ser punidos, em ambos os lados.
Quanto ao anonimato, por que aqueles que se manifestaram nos meios de comunicação não se identificaram de igual maneira que é pedido por alguns neste site? Seria receio de represália ou simplesmente querer ver o "circo pegar fogo e aumentar o meu lado"? Como aconteceu, não somente no tempo da ditadura, mas em diversos momentos da nossa história muitos dos contestadores mostravam suas caras, ficando para os hipócritas a oportunidade de mostrar suas caras depois da "poeira baixar" e deste modo gozar das glórias do lado vencedor. Ao contrário de outros eu mostro meu anonimato não para querer glória posterior (e qual seria comentando neste site?), ou me esconder atrás da hipocrisia. Fico no anonimato para ser apenas mais um entre tantos que foram importunados ontem, por ser apenas mais um que tem que ouvir as demagogias daqueles que falam o que não sabem, por ser simplesmente mais um que deseja mostrar sua indignação, como a grande maioria da sociedade.

Ass.

Anônimo (somente do primeiro comentário).

Anônimo disse...

Esse cara que tá falando mal dos estudantes e a favor da violência deve ser da própria policia ou de alguma instituição como a Abin. Mais um ato de desinformação pra rastrear ips da sociedade politizada. Prática comum dos radicais de extrema direita que não tem o que fazer, detalhe é que recebem grana pública pra fazer isso.
Sou Curitibano e me envergonho dessa atual adminstração por se utilizar da violencia e explorar o bolso das pessoas menos favorecidas. Quem perde popularidade é o prefeito que só está queimando a cara com a população - está confirmando o que realmente é e o que vai ser esse segundo mandato. Apoio o MOVIMENTO ORGANIZADO PASSE LIVRE.

2,20 é um abuso, boicote aos transportes públicos urbanos poluentes,

menos meios de transportes motorizados e mais alternativas,

Não pagar passagem está se tornando uma prática cada vez mais comum nos centros urbanos e em curitiba, Crime é usar a força pública armada na população que tem o pleno direito de se manifestar em qualquer lugar.

Passar livre já e sempre
Bicicletas públicas.
Avanti Sociedade Organizada.
MR*

Rafael disse...

"Se temos que valorizar os impostos que pagamos, porque a concessão do passe livre dever ser única e tão somente dado aos estudantes e não aos demais pagadores, mesmo que menores, como por exemplo os pertencentes da 'classe proletária'?" Respondo: porque (o "porque" junto é usado para as respostas) os estudantes de hoje serão o Brasil de amanhã. O investimento em educação, do qual faz parte a iniciativa do passe livre aos estudantes, não é um favor que o país concede a uma classe privilegiada, mas uma aposta no seu próprio futuro. É como acontece quando colocamos um filho nosso em uma boa escola, ou damos a ele dinheiro para ir ao cinema ou para comprar livros. O que os estudantes estão cobrando não é um benefício do Estado, mas uma dívida do país consigo próprio, um efetivo projeto de construção de um novo Brasil (e essa discussão passa sim pela criação de ciclovias, melhoras do transporte público, taxação dos veículos motorizados particulares e mais poluentes, em suma, tudo o que o Beto Richa não está fazendo). Meu amigo: o ensino no Brasil, tanto o público quanto o particular, está sucateado, é absolutamente arcaico. Quanto a isso, só lhe digo uma coisa: estamos construindo um país pior do que o que recebemos.

gatinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
gatinha disse...

OLÁ PESSOAL DO CEP É ISSO AI LUTEM PELO NOSSOS DIREITOS DIGO A PESSOA QUE FEZ ESSE BLOG PARABENS TBM E MOTIVOS ASSIM QUE TRANSFORMA UMA LUTA EM VITORIA SOU DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS MAS ESTOU COM VCS TODOS PESSO PARA ESSA PESSOA QUE VEZ O BLOG MANDAR UM E-MAIL PARA MIM COM O SEU MSN PARA NÓS CONVERSAMOS QUERO JUNTO A LUTAR PELO PARANA E AOS ESTUDANTES!!!johncarlosvs10@gmail.com blz???

gatinha disse...

OLÁ PESSOAL DO CEP É ISSO AI LUTEM PELO NOSSOS DIREITOS DIGO A PESSOA QUE FEZ ESSE BLOG PARABENS TBM E MOTIVOS ASSIM QUE TRANSFORMA UMA LUTA EM VITORIA SOU DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS MAS ESTOU COM VCS TODOS PESSO PARA ESSA PESSOA QUE VEZ O BLOG MANDAR UM E-MAIL PARA MIM COM O SEU MSN PARA NÓS CONVERSAMOS QUERO JUNTO A LUTAR PELO PARANA E AOS ESTUDANTES!!!johncarlosvs10@gmail.com blz???

Anônimo disse...

Alguém pode postar no artigo do CMI se os companheiros que foram presos já foram liberados? Como está o processo aí? Em solidariedade.

Z disse...

Sou um dos compas que foi detido, e já fomos todos soltos. Mas podemos responder processo, inclusive a polícia por falta de provas está criando estórias para justificar a criminalização do movimento.

R$ 2,20 é roubo!

Lucas Sorrentino disse...

Porcos filhos da puta!

mas só 2 perguntas, a PM não é subordinada ao governo do estado?0 e não ao Beto Richa como deixa a entender na última postagem no blogg?
e outra, tem como mover algum processo judicial contra o/tamanho abuso policial?

só pra ter certeza do que se passa por aí...

queria estar em curitiba pra somar minhas forças, já que isso não é possível, mando meu apoio aqui de longe!

O passe livre é muito mais que um direito ou um privilégio, é uma fagulha de mundo mais justo e ordenado diante do caos desmerecido do qual a maioria da população do entorno de nossas grandes capitais é obrigada a viver!
uma grande causa que vale a pena lutar!

abraços libertários!

Rodrigo disse...

"Quem não se move, não sente os grilhões que lhe prendem". (Rosa Luxemburgo)

Lucas disse...

Parabéns aos filhotes de repressores que deixam comentários elogiando a polícia opressora. Conheço essas pessoas e são estudantes sim.

Pagamos quase 100reais (4,40 por dia - não a trabalhador que suporte) por mês só de transporte para ir estudar.

E o que acontece quando se questiona isso? Você leva porrada, só por bloquear o transito para chamar a atenção a um problema que atinge a maior parte da população curitibana, sem falar nos ônibus lotados, enconhadas e desconforto que passamos todos os dias ao ir ao trabalho.

Não precisa nem ser socialista para entender isso, basta ter que trabalhar tanto para pagar esse assalto. (Aceita bem esses valores que não tem que trabalhar para bancar esse lucro abusivo dos oligopolistas do transporte).

Municipalização do Transporte já!

Anônimo disse...

Gostaria de pedir desculpas pelo erro de digitação que colocou o "por que" junto quando deveria ser separado. Felizmente ainda me lembro desta aula (que foi aprendi em um colégio estadual) e por isso posso garantir que foi meramente um erro de digitação. Quanto ao ser o Brasil de amanhã eu discordo de você, caro amigo: os estudantes, e atentem para isso, já são o Brasil. Fazem parte do Brasil de hoje e tem sim a sua parcela de responsabilidade pelo Brasil de amanhã. Quanto ao "investimento em educação, do qual faz parte a iniciativa do passe livre aos estudantes" eu gostaria de saber onde está o Movimento Aumento da Jornada Escolar e Redução dos Recessos e Feriados, o Movimento Aumento e Atualização dos Livros nas Bibliotecas, o Movimento Acesso Digital para Todos os Estudantes, ou mesmo o Movimento Melhores Condições de Ensino e Aprendizado. Infelizmente até hoje só encontrei referências ao Movimento(?) Passe Livre, porque este tratra-se de algo imediato sim, ou melhor investimento de curto prazo, porque investimento em livros, em acesso digital para o aprendizado é algo para o médio ou longo prazo. Mas livros e computadores não interferem na economia na mesada da "turminha".
O maior investimento que se pode fazer é em conhecimento, e este dito Movimento em nenhum momento faz referência para sua obtenção. Meu mais sincero desejo é que este Movimento alcance maiores níveis, mas somente quando mostrar seu real interesse de agregar frutos para o progresso do ensino e a educação dos estudantes, e não somente "economizar os trocados" ou melhor, dar condições para gastá-los em outras coisas, que até que me provem o contrário (e isso ainda não conseguiram) não é para comprar livros.

Rafael disse...

Também gostaria de ver os estudantes mais preocupados e mais comprometidos pela causa da educação, por mudanças radicais na concepção de ensino no Brasil etc. Mais do que isso, gostaria de ver os professores e principalmente os pais dos estudantes comprometidos com ela (por que você, caro anônimo, não começa esse Movimento da Jornada Escolar?) Acontece que não é com demagogia que a gente muda alguma coisa nesse país. A expressão política dos estudantes nos dias de hoje já é precária, não serei eu a criticar alguns poucos que se organizam e se manifestam, se expondo desnecessariamente a tomar porrada de polícia (sofreram até fraturas), tendo seus objetos ROUBADOS pela mesma e sendo presos. A manifestação contra o aumento da tarifa é uma boa forma de mostrar indignação contra a política bunda-mole do sr. Richa, que, apesar de tudo, tem o apoio quase total dos covardes curitibocas. Esse povinho reaça filho da puta tem a coragem de bater palma pra policial dando cacete nos nossos filhos. Desculpe a indelicadeza, mas é de foder.

aneleh disse...

oi, sou voluntaria do cmi e propus o editorial que esta com a nota do mpl dai no site...mas tive informacoes que as fotos que foram publicadas sao de um jornalista de uma midia corporativa ai, queria saber se isso procede e se ele deu permissao para que vcs divulgassem as imagens dele? pode dar processo para nós, entao melhor saber como que foi isso...meu email eh alga@riseup.net...se alguem puder me responder, eu agradeco.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.